Adoçantes. Escolha as melhores calorias: Stevia ou Xilitol?

adoçante low carb stevia aspartame xilitol saude dieta fitness
Hoje a nossa conversa vai ser sobre o adoçante. Afinal, com tantas opções disponíveis no mercado, sabemos como escolher?
Devemos usar sem limites? Stevia é um bom substituto para o açúcar? Existe adoçante low carb? Vamos ver agora!
adoçante low carb stevia aspartame xilitol saude dieta fitness

Qual a diferença entre eles?

Adoçantes (ou edulcorantes), são substâncias de baixo ou nenhum valor calórico. São utilizados para proporcionar um sabor doce aos alimentos. Os mesmos podem ser classificados em naturais ou artificiais.

Adoçantes Naturais x Artificiais

O adoçante natural, como a própria palavra já nos diz, já vem pronto da natureza. Ou seja, é uma substância que é extraída de plantas como cana de açúcar, beterraba e até frutas! Já o artificial é manipulado e criado em laboratório. E, por muitas vezes, acabaram sendo descobertos por acaso, acredita? E eles fazem o maior sucesso. Confira na lista:

Adoçantes Naturais

  • Stevia: É extraído de uma planta nativa da América do Sul, chamada de stevia rebaudiana. Fiquem espertos: a stevia adoça 200 vezes a mais que o açúcar. Portanto, a quantidade do seu uso será bem menor! Disponível em gotinhas, pacotes e tabletes dissolúveis, não contém calorias nem carboidratos. Um ponto a favor é que ela pode ser usada em altas temperaturas. Um ponto contra é que ela pode deixar um gostinho residual. Conhece? O sabor residual do Stevia é aquele amargo no fundo dos adoçante low carb stevia aspartame xilitol saude dieta fitness alimentos.
  • Xilitol: Esse açúcar é proveniente do álcool, tem por volta de 2,4 calorias por grama. Seu poder de doçura é similar ao do açúcar, então sua proporção de uso será parecida! Esse adoçante é uma ótima opção para mulheres grávidas ou lactentes (que estão amamentando). O cuidado fica por parte da quantidade de ingestão, altas doses pode causar problemas digestivos.
  • Frutose: Extraída de frutas maduras, esse adoçante pode ser consumido por diabéticos. Não é muito interessante seu uso para quem está fazendo alguma dieta, já que cada grama tem por volta de 4 calorias. A frutose adoça uma vez e meia a mais que o açúcar, por isso é necessário atenção até acostumar com seu poder de doçura.
  • Manitol: é amplamente encontrado em vegetais, como aipo cebola e beterraba. Atenção especial para seu consumo, que deve ser de 30g a 50 g em doses parceladas. Há relatos de pessoas que não toleram quantidades superiores a 10g/dia. O problema de suas doses elevadas é o efeito laxativo. Seu poder adoçante é de 70% a mais que o açúcar.

Adoçantes Artificiais

  • Ciclamato de Sódio: Esse adoçante não apresenta nenhuma caloria. Sua origem é dada a partir do ácido ciclo-hexano-sulfúrico, um derivado do petróleo. Essa substância é mais encontrada em refrigerantes. Ela também pode ser encontrada em adoçantes de mesa, assim como em biscoitos, geleias e sorvetes.
  • Sacarina: É o adoçante mais antigo. Seu poder de doçura é 200 vezes maior que o do açúcar. Seu ponto fraco é o sabor residual metálico/amargo que fica presente na boca. É sintetizada a partir do ácido toluenossulfônico, derivado também do petróleo. Pessoas alérgicas devem ficar atentas para não consumi-la. Por possuir sódio, é  também contra-indicada a pessoas hipertensas.
  • Sucralose: Ela é feita a partir da sacarose (extraída da cana de açúcar), o que poderia fazer dela um adoçante natural, mas em sua composição são adicionadas moléculas de cloro. Essa adição impossibilita a absorção dessa substância pelo nosso corpo, ou seja, ela é eliminada por completo do corpo em 24 horas através da urina. Seu poder adoçante é 600 vezes maior que o do açúcar. Tudo isso com zero tem calorias.
  • Acessulfame-K: Que nome feio, não? Porém ele tem mais jeito de mocinho. Acredita-se que é um grande aliado para pessoas com doenças crônicas tal qual a diabete. Funciona também para indivíduos que fazem dieta por não ser metabolizado pelo corpo. É 200 vezes mais adoçante que o açúcar. Costuma ser obtido através de um ácido da família do ácido acético. Ácido acético? Sim, o nosso conhecido vinagre.

adoçante low carb stevia aspartame xilitol saude dieta fitness

Aspartame é vilão?

Existem muitas controvérsias a respeito do uso de adoçantes artificiais. Muito se pesquisa acerca do assunto, enquanto diversos artigos publicados asseguram o uso, mesmo em quantidade e frequência elevada (sucralose), outros são mais arriscados (sacarina).
Por muitas vezes foram associados a efeitos colaterais como dor de cabeça e enxaqueca. Há o risco de encolhimento do timo, a glândula que faz parte do sistema imunológico e atua na produção de glóbulos brancos. Há risco de enfraquecimento dos rins e do fígado e distúrbios de humor. Há uma preocupação muito constante em relação ao uso de adoçantes e ao aumento da propensão do risco de câncer. Por isso, os estudos em relação aos efeitos e definição de quantidades limite não param.
Isso faz com que alguns adoçantes possam ter o seu uso banido. Como ocorreu na França e no Canadá, onde o uso da sacarina foi proibido. Vamos falar dele com mais detalhe:

Aspartame

Separei um espacinho especial para falar desse adoçante que tem sido muito comentando ultimamente.
Foi descoberto em pesquisas para um remédio contra a úlcera. Isso ocorreu em 1965, quando o químico americano Jim Schlatter deixou cair nas mãos uma combinação de
aminoácidos por ele desenvolvida. Ao provar, sentiu um sabor doce e assim foi criado o aspartame, 200 vezes mais doce que o açúcar. O grande problema é que já foram catalogados 92 efeitos colaterais ao organismo com o uso constante dessa substância.
Esses efeitos no corpo podem ser imediatos ou graduais, mas ainda não se sabe todos os efeitos que ele pode causar. A seguir alguns do efeitos colaterais que mais foram citados por pessoas que usaram aspartame:
  • Ataques de pânico, alterações de humor, episódios de mania e alucinações visuais;
  • adoçante pode fazer mal aspartame causa dor de cabeça e doenças crônicas
  • Náusea;
  • Reações alérgicas alimentares;
  • Dores de cabeça, enxaquecas;
  • Diabetes (o aspartame em indivíduos diabéticos pode favorecer as complicações como neuropatia, retinopatia, catarata e pode provocar mal controle glicêmico em quem faz tratamento);
  • Espasmos musculares;
  • Irritabilidade;
  • Ganho de peso;
  • Perda de audição;
  • Depressão;
  • Alterações endócrinas como aumento de cortisol e prolactina;
  • Degeneração cerebral – envelhecimento precoce (perda de memória);
  • Taquicardia;
  • Doenças autoimunes;
  • Dores articulares;
  • Convulsão e epilepsia.
Tem contraindicação também para indivíduos que tem fenilcetonúria, uma doença genética que causa a diminuição de uma proteína no fígado. Essa doença causa acúmulo do
aminoácido fenilalanina no corpo. E o aspartame tem em sua composição a fenilalanina.

Também é contraindicado para gestantes!

O cérebro do feto, ainda em formação, consegue absorver cinco vezes mais as substâncias tóxicas do aspartame, o que pode lesionar seu sistema nervoso. Muitos produtos industrializados que encontramos no mercado apresentam a inclusão dessa substância, por isso é importante lermos os rótulos.
Pessoas com doenças crônicas sempre devem procurar uma nutricionista competente para saber qual plano alimentar deve seguir, quais substâncias podem estar inclusas e quais seriam melhor evitar!
E vocês? Consumam consumir algum adoçante? Qual a marca? Vocês sabem quantas calorias existem na sua marca favorita? Conta pra gente: qual combina melhor com seu paladar?
Até semana que vem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Olá, quer fazer seu pedido?