Você já ouviu falar sobre BPA? Saiba o mal que ele pode te causar

O Bisfenol A, popularmente conhecido como BPA, é um composto químico presente na maioria de embalagens e recipientes de plástico. Mas, o que muitos não sabem, é que o BPA é prejudicial para a saúde. Entenda mais sobre a substância:

O que é BPA?

O BPA (bisfenol A) é uma substância mundialmente utilizada na produção de policarbonatos e resinas epóxi. O policarbonato tem uma ótima resistência ao calor e impactos, por isso, é utilizado para a fabricação de embalagens plásticas diversas. Isso inclui as que armazenam alimentos e os potes de plástico.

O problema está no fato de que, por ser uma molécula instável, uma pequena mudança de temperatura pode fazer com que o BPA migre da embalagem para o alimento e o contaminam.

Estudos indicam que cerca de 90% das pessoas têm a substância no organismo. Esse é um dado preocupante, visto que quando ingerido, o bisfenol A pode causar uma série de complicações para a saúde.

O que o bisfenol A faz no organismo humano?

Dentro do organismo, o bisfenol A se comporta como o estrógeno (hormônio feminino). Assim, a substância é considerada um desregulador endócrino, podendo aumentar ou diminuir a ação de hormônios. Além disso, o BPA afeta diretamente o funcionamento das glândulas endócrinas em nosso corpo.

Embora os efeitos sejam bastante discutidos, estudos indicam que o BPA possa causar:

  • Aborto;
  • Obesidade;
  • Diabetes;
  • Infertilidade;
  • Doenças cardíacas;
  • Câncer de mama;
  • Câncer de próstata;
  • Gestação ectópica.

É importante notar que, em crianças e fetos, a exposição ao bisfenol A é ainda mais grave, considerando que estão em fase de desenvolvimento.

Outros tipos de bisfenol

Há vários outro tipos de bisfenol, não apenas o bisfenol A (BPA). São eles: o bisfenol B, o bisfenol AF, o bisfenol C, o bisfenol E, o bisfenol AP, o bisfenol F e o bisfenol S.

Entre esses, o bisfenol F (BPF) e o bisfenol S (BPS) são utilizados como substitutos para o BPA, por contarem com os mesmos efeitos dentro da indústria. O problema é que eles também são disruptores endócrinos, apresentando males para a saúde.

O efeito de ambos não foi tão estudado quanto os do BPA, mas é comprovado que o BPS tem o potencial de causar câncer. Já o BPF afeta diretamente a tireóide e é mais comum em embalagens de alimentos.

Por isso, é muito importante reforçar os cuidados!

Onde o bisfenol A é encontrado?

O BPA pode ser encontrado em uma variedade de produtos, como:

  • Embalagens de alimentos e bebidas;
  • Recipientes de plástico;
  • Utensílios descartáveis;
  • DVDs;
  • Computadores;
  • Revestimento de latas de alumínio;
  • Brinquedos de plástico;
  • Papel alumínio;
  • Papel térmico;
  • Embalagens de cosméticos.

Por ser tão comum, o consumo de BPA realmente é um risco. Por isso, é muito importante ficar de olho nos rótulos dos produtos.

Como identificar produtos com bisfenol A?

Para saber se um produto conta ou não com BPA em sua composição, é preciso ficar atento aos rótulos: caso no haja os números 3 ou 7 no símbolo de reciclagem do plástico, o produto contém ou pode conter bisfenol A. Algumas marcas sinalizam no rótulo que seu produto não conta com a substância, através do selo “BPA Free” (livre de BPA)

Além disso, visto que o bisfenol A é mais nocivo para bebês e crianças, a Anvisa proibiu em 2012 a fabricação e importação de mamadeiras com a substância. Além disso, o nível da substância em embalagens de alimentos foi limitada a 0,6 mg/kg..

Porém, quando se trata de legislação para evitar o consumo de BPA, o Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer.

Como evitar a exposição ao BPA?

A mudança de hábitos e cuidados diários são a melhor maneira de evitar a exposição ao bisfenol A. Confira algumas dicas:

  • Ao armazenar comida, dê preferência aos recipientes de vidro, porcelana e aço inoxidável;
  • Evite colocar no microondas e freezer embalagens de plástico;
  • Ao comprar embalagens de plástico, fique de olho nos rótulos;
  • Evite o consumo de bebidas e alimentos enlatados;
  • Utilize mamadeiras e utensílios de vidro para bebês;
  • Ao lavar recipientes e utensílios de plástico, evite colocá-los em máquinas de lavar louças.

Quantidade máxima permitida de BPA

A quantidade máxima permitida para consumo diário de BPA, a fim de evitar problemas de saúde, é de 4 mcg/kg, no caso de adultos. Porém, a média de consumo de um adulto é em torno de 0,388/kg.

Isso mostra que, habitualmente, não há um consumo tão elevado de BPA pela população. Porém, a substância é extremamente prejudicial para a saúde e é preciso evitá-la ao máximo.

 

Acompanhe o blog da VIPfood para mais conteúdos sobre alimentação saudável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Olá, quer fazer seu pedido?