Aditivos – Parte II

açúcar edulcorante stevia

Olá pessoal!! Como vocês estão? Como prometido, voltei para terminarmos a lista dos aditivos! Eu sei que não é o assunto mais interessante do mundo, mas acreditem é importante saber o que está sendo consumido.

Conservadores

São as substâncias utilizadas para retardar ou impedir que ocorram alterações no alimentos provocadas por microrganismos ou enzimas. Normalmente a contração que é usada, nenhum dos conservantes, são letais para os microrganismos, a ação do conservador é somente inviabilizar o crescimento e proliferações dos mesmos. Salva a exceção do dietilpirocarbonato, do óxido de etileno e do propileno.
Ultimamente países com alto nível de industrialização, estão se esforçando para reduzir a utilização desses conversadores. Novas opções são pesquisadas como o calor, resfriamento e dessecamento (já utilizado na antiguidade).

Tipos de conservadores

Benzoato de sódio

Ácido p-hidroxibenzóico e seus ésteres (parabéns):

Ácido sórbico e seus sais de sódio e potássio:

Ácido propiônico
Dióxido de enxofre e sulfito

Ácido acético e acetatos
Nitritos e nitratos

Alimentos que contem conservador

Margarina, queijos, peixe, pão e bolos. sucos de fruta, sidras, vinhos, picles, molhos e outros.

Malefícios

Ácido propiônico é conhecido por ser um líquido de cheiro forte e um tanto corrosivo.
Chegou-se a conclusão de que o sulfito residual, presente em algumas caseínas, era responsável pela decomposição da vitamina B1 no período de armazenamento do alimento.

O nível de nitrato não deve exceder de 500 ppm e o de nitrito de 200 ppm. Mages e Barnes, em 1967, estudaram a presença de nitrosaminas em produtos alimentícios e a possibilidade de sua ocorrência ser devido à reação entre nitritos e aminas secundárias. Considera-se como um dos mais potentes grupos carcinogênicos até agora descobertos. Seu papel na etiologia do câncer tem causado crescente preocupação dos pesquisadores.

Edulcorante

São substâncias de origem orgânica, podendo ser natural ou sintético, sua principal característica é adoçar os alimentos e as bebidas. São utilizados para substituição de sacarose. O edulcorante reduz a ingestão de calorias, pois essa substância produz baixa quantidade de caloria. Seu uso é importante para indivíduos portadores de diabetes ou com restrição alimentar.

Tipos de edulcorante

Aspartame
Ciclamato de sódio
Sacarina
Frutose
Acessulfame K
Sorbitol
Stévia

Alimentos que possuem edulcorante

Cereais de café da manhã ricos em fibra, cerveja, sopas de valor energético reduzido, refrigerantes, bebidas lácteas, sobremesas, produtos de confeitaria, gomas de mascar, gelados, compotas, doces e geleias, frutas em conserva entre outros.

Malefícios

Uma das maiores questões é sobre a presença de diclorometano, um líquido usado na fabricação do adoçante. O diclorometano é usado em vários setores da indústria, o ponto é que seu uso em alimentos é proibido.
Porem existe a possibilidade de que essa substancia seja um cancerígeno, entretanto não se sabe se ele realmente tem esse efeito no corpo humano. Essa possibilidade, contudo, é apoiada pela Organização Mundial da Saúde e pela Agência de Proteção Ambiental Americana.
A exposição a curto prazo ao diclorometano pode causar problemas na visão, problemas auditórios e motores. A longo tempo pode causar dores de cabeça, depressão, náuseas, confusão mental, efeitos hepáticos e renais.
Embora o efeito prejudicial desse produto ainda não tenha sido comprovado em conjunto com o acessulfame K, ele não deve ser ignorado, assim como não devem ser ignorados os possíveis riscos do acessulfame de potássio.

Aromatizante

Também são substâncias que podem ser naturais (vegetal ou animal), ou sintéticos, são usados para proporcionar cheiro e sabor específico aos produtos alimentícios, normalmente industrializados.
Em algumas ocasiões pode ocorrer mistura das substâncias, das naturais com as industrializadas. O naturais são obtidos por processo físicos, utilizam-se de enzimas,e são geridos a partir de carnes, frutos do mar, aves, ovos ou de origem vegetal como frutas, legumes, ervas entre outros.

Tipos de aromatizantes

São exemplos de aromatizantes naturais os óleos essenciais extratos, bálsamos, oleoresinas ou oleogomaresinas, e substâncias aromatizantes naturais isoladas.
Já os aromatizantes artificiais são substâncias sintetizadas quimicamente em laboratório, como por exemplo, o aromatizante etil-vanilina (aroma imitação de baunilha).

Alimentos que possuem aromatizantes

Balas, gomas de mascar, sorvetes, bombons, gelatinas, iogurtes, bolos.

Malefícios

Ainda não possuem estudos que comprovem o uso relacionado à problemas de saúde.

Acidulante

De acordo com as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), um produto é classificado como acidulante quando é capaz de aumentar a acidez de um alimento ou conferir a ele sabor ácido.
Não só a acidez dos alimentos é alterada pelos compostos acidulantes, essas substâncias são utilizadas para outras funções como para regular de pH. agente flavorizante, para disfarçar o gosto desagradável de outras substâncias e tornando o alimento mais saboroso.
Além disso, os acidulantes é utilizado para impedir o escurecimento dos alimentos, modificam a textura de confeitos, realçam a cor vermelha das carnes, contribuem para a extração da pectina e pigmentos de frutas e vegetais, alteram o sabor doce em alguns alimentos, evitam a cristalização indesejada do açúcar, potencializam a ação conservante do grupo benzoato e estabilizam o ácido ascórbico.

Tipos de acidulantes

Os acidulantes que são mais usados na indústria dos alimentos são os ácidos orgânicos são iguais aos encontrados em frutas, como o ácido cítrico do limão e da laranja, o ácido tartárico, da uva e o ácido málico, presente na maçã.
Também são utilizados ácidos inorgânicos, em especial o ácido fosfórico.

Alimentos que possuem acidulante

Cerveja, carnes curadas, picles, queijos, conservas vegetais e leites fermentados.

Malefícios

O uso exacerbado, muito alto, pode causar cirrose hepática, descalcificação dos dentes e dos ossos.

Estabilizante

É uma substância que vai favorecer /manter as características físicas de emulsões e suspensões.
Por isso, adicionam-se aos alimentos estabilizadores juntamente com emulsificantes, uma vez que aqueles potencializam a ação destes.
Sua ação consiste em formar películas na superfície de reparação, além de funcionar como coloides protetores que desenvolvem viscosidade elevada e, com isso, evitam a migração das partículas menores existentes na solução.

Tipos de estabilizantes

Agar-agar; ácido meta-tartárico; fosfatos dissódico ou de potássio; fumarato de estearila e sódio; glutaconato de cálcio; gomas, hidróxido de cálcio entre outros.

Alimentos que contém Estabilizantes

Doces, sobremesas, lacticínios, sopas, caldos concentrados, panificação, massas, alimentos processados, biscoitos, sorvetes, achocolatados e sucos.

Malefícios

Ainda não existem estudos que comprovem os malefícios do uso dessa substância.

Pessoal, por hoje é isso! Leiam com atenção, aprendam a olhar a lista de ingredientes no rótulo dos alimentos, tenham consciência do que estão comendo, você é dono do seu corpo e ele merece ser cuidado.
Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Olá, quer fazer seu pedido?