Gordura Trans e Fast Food. Como lidar com as tentações do dia a dia!

Gorduras Trans. As vilãs da alimentação moderna. Fast food e a falta de praticidade do dia a dia

Olá pessoal! O assunto de hoje vai ser polêmico. Vamos falar sobre o que todo mundo ama, mas que não sabemos o quão mal faz: fast-food e gordura trans. Aquele cheirinho da praça de alimentação que te laça o estômago e fica difícil lutar contra.

Mas e ai? Podemos nos dar o direito de comer às vezes? Ou é melhor evitar sempre?

O que é fast-food?

A nossa sociedade ultimamente tem se tornado muito apressada. Um reflexo de toda essa correria é claramente mostrado nas alimentações. Hoje, infelizmente, não temos mais tempo para dispor no preparo de cada refeição em nosso dia-a-dia corrido. Foi dessa rotina que surgiram os fast-food (do inglês: comida rápida).

Fast-food ficou conhecido por se referir a todos os alimentos preparados em um pequeno intervalo de tempo. Além disso, do seu consumo por conveniência. O fato é que esse hábito alimentar se tornou um elemento cultural em diversos lugares ao redor do mundo. Aliás, apenas 13 países no mundo não têm uma loja da rede mais famosa, o McDonald’s. A triste parte é que, em cada local onde o fast-food é cultural, o aumento de pessoas com obesidade também é certo.

Normalmente, fast-food são muito calóricos. Ainda mais se formos pensar que são alimentos como: sanduíches, pizzas, batatas

Gorduras Trans. As vilãs da alimentação moderna. Fast food e a falta de praticidade do dia a dia

fritas, hambúrgueres, milkshakes, nuggets e sorvete. Esse alto teor de calorias favorece o ganho de peso.

E por quê é tão gostoso?

Mas calma, super entendemos essa vontade de comer estes alimentos. Primeiramente, porquê são ricos em carboidratos simples e outros componentes, como sal, gordura e conservantes artificiais. E isso faz com que o organismo passe primeiramente por um estado de êxtase pelo efeito do açúcar no cérebro. Esse bem estar de momento é a justificativa que nós usamos para nos “alimentar mal” quando estamos estressados, tristes, chateados, preocupados. O problema está nas consequências posteriores. Podem ser graves, como hipertensão, doenças cardíacas e obesidade.

O que acontece com o meu corpo ao consumir Fast-Food?

10 minutos depois: Euforia

A ingestão de um excesso de calorias advindo de uma fonte alimentícia vai trazer uma sensação de segurança no cérebro. Isso acontece porque o nosso corpo está acostumado a pensar que quanto mais calorias consumir, maior será o estoque em possíveis tempos de “seca”. É uma questão evolutiva. Em determinados momentos, nossos antepassados precisavam consumir grandes quantidades de calorias para sobreviver. Por isso, ao ingerir um gorduroso e calórico lanche, os primeiros sentimentos serão de conforto e felicidade.

20 minutos depois: Pico de glicemia

Uma substância muito usada na produção de pães de fast-food é o xarope de frutose. É uma substância de alto índice glicêmico. Ou seja, entra rapidamente na corrente sanguínea, aumentando os níveis de glicose no sangue. Quando ocorre o pico de açúcar no sangue, é feita a produção de dopamina. A dopamina é uma substância que causa sensação de bem estar e prazer. Essa sensação é similar ao que se sente ao consumir certas drogas – o que explica o porquê de muitas pessoas se tornarem viciadas nesse tipo de alimentação.

30 minutos depois: Pico de pressão

Após meia hora da ingestão desse alimento, a concentração de sódio vai estar em excesso no sangue. Para ajudar a recuperar o equilíbrio do corpo, o rim irá eliminar mais água para reduzir essa concentração. A concentração de sódio sanguínea ocorre em decorrência da alta ingestão do sal, componente muito encontrado em preparações das guloseimas destes restaurantes.

40 minutos depois: Vontade de comer mais

Aqui começam os sintomas de fome novamente. Tudo isso devido ao descontrole de açúcar sanguíneo. Após a ingestão do alimento, como mencionado acima, ocorre o pico de glicemia. Nesse pico o organismo é obrigado a liberar hormônios que fazem o açúcar no sangue baixar, para restabelecer a normalidade. O problema é que quando temos baixa de açúcar no sangue, o corpo sente sinais que indicam fome, pois seus níveis de açúcar precisam subir. Ou seja: uma sensação falsa de que precisamos de mais comida.

60 minutos: Digestão lenta

O normal é que o corpo demore de 24 à 72 horas pra digerir totalmente uma refeição completa. Entretanto, esses alimentos por serem ricos em gorduras (inclusive a trans – guardem este nome) e conservantes, faz com que esse alimento demore mais de 3 dias para ser digerido.

Longo prazo: Outras alterações sistêmicas

  • Ganho de peso, devido ao excesso de calorias;
  • Cansaço, devido ao excesso de carboidratos;
  • Aumento no colesterol, por conter gorduras trans;
  • Espinhas no rosto, pois o aumento do açúcar no sangue favorece o surgimento da acne;
  • Inchaço, devido à retenção de líquidos que o excesso de sal causa;

Gordura Trans: a grande vilã da alimentação moderna

Lembra o que eu pedi pra vocês guardarem? Gordura trans, esse é o nome. Vamos ter um pedacinho do no texto separado só para conhecermos melhor essa vilãzinha tão presente na nossa vida!

Afinal, o que são gorduras trans?

As gorduras trans são um tipo específico de gordura formada a partir de um processo industrial ou natural (esse fenômeno ocorre no rúmen de alguns animais). A formação dela ocorre basicamente na mudança de lipídeos insaturados que contêm uma ou mais duplas ligações em uma configuração diferente, conhecida como trans que estão muito presentes em alimentos industrializados.

Para entender melhor: leia nosso texto sobre colesterol

Para que serve a gordura trans?

No processo de hidrogenação industrial, a gordura trans é transformada de óleos vegetais líquidos em gordura sólida a temperatura ambiente. Seu uso é conhecido por melhorar a consistência do alimento, aumentar a vida de prateleira (durabilidade) e melhorar o sabor.

Gorduras Trans. As vilãs da alimentação moderna. Fast food e a falta de praticidade do dia a dia
Gorduras Trans. As vilãs da alimentação moderna. Fast food faz mal?

Esse tipo de gordura faz mal para a saúde?

Sim pessoal! E como faz. O consumo excessivo de alimentos ricos em gordura trans pode causar aumento do colesterol total e ainda do colesterol ruim (LDL), redução dos níveis do colesterol bom (HDL). Provoca acúmulo de gordura na região abdominal. E isso causa aumento do risco de complicações cardíacas, como infartos e derrames. Além de tudo, é importante lembrar que não há nenhuma informação ou estudo disponível que possa atestar que gorduras trans possam trazer qualquer benefício à saúde.

Colocar a mão na consciência…

Esse tipo de alimento está cada vez mais presente em nossas vidas. Estão incorporados aos nossos hábitos alimentares e precisamos saber que ter essa prática como costume nos coloca em grandes riscos. Os índices de doenças coronarianas, obesidade e diabetes na atualidade, aumentam dia a dia. Estão chegando a níveis preocupantes, na verdade.

O sedentarismo aliado a falta de tempo para realizar refeições e outras atividades fora do trabalho, está deixando tudo pior. A saúde está sendo esquecida e deixada como segunda opção, pois sempre estamos ocupados, não é mesmo?

Aliás, já conhece nossos kits? Praticidade pro seu dia-a-dia, com muito carinho no preparo, pensando em quem faz dieta. Temos pratos low-carb, sem lactose e, inclusive, veganos.

O problema debatido, da grande concentração de gorduras, açúcares e sal em todo fast-food ainda pode ser piorado quando o consumidor, sem tempo para se alimentar, come dirigindo, em frente ao computador ou mesmo ao telefone. Essas situações fazem com que o indivíduo não se concentre no que está comendo e não preste atenção na mastigação, que fica prejudicada. Para curiosidade, a mastigação é a primeira parte da digestão, ou seja, quando não estamos atentos a nossa ingestão, ocorre prejuízos em nossa absorção de nutrientes, que já são pouco presentes nesses alimentos.

Não posso comer nunca então?

Não pessoal! Comer um fast-food não é expressamente proibido. No entanto, é necessário que todos tenham bom senso ao frequentar essas redes de comercialização. Ter uma alimentação balanceada rica em nutrientes e praticar exercícios físicos mantém o corpo saudável.

E quem é saudável pode se dar ao luxo de, às vezes, ir a algum fast-food. Isso não deve se tornar um hábito, muito menos substituir a alimentação básica. Assim como os adultos, as crianças podem esporadicamente e em pequenas quantidades. Mas nunca pode fazer parte do cotidiano, muito menos ser usado como recompensa. Crianças não devem atrelar o pesamento com: comer errado porque fez algo bom!

E vocês? Me contem! Qual sua relação com o fast-food? Sentem vontade ou passam vontade? Conseguiram tirar da alimentação?

Até semana que vem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Olá, quer fazer seu pedido?